Falando de abobrinha



Outro dia cheguei para um amigo meu e disse "Hoje vou pra casa fazer abobrinha regogada. É tudo o que eu quero... fazer abobrinha". Nada como chegar do trabalho numa segunda-feira chuvosa e preparar abobrinha refogada como acompanhamento.

Dizem que cozinhar é terapia. Falar abobrinha também. Então, para quem é fã deste fruto da família das curcubitácias, recomendo a experiência. A abobrinha ainda tem vitaminas a valer. Faz bem para a pele e para a vista. Que beleza.

Coloque uma boa música* vá para a cozinha, lave bem uma abobrinha italiana sem tirar a casca e passe para o processo lúdico. Pique-a em cubinhos, triângulos, rodelas ou fatias bem fininhas. Descasque e pique aquele dentão de alho, refogue no azeite e sinta o aroma da felicidade. Agora jogue sua abobrinha direto na panela, coloque sal e deixe dar uma abafadinha por dez a 15 minutos. Finalize com tomilho fresco, alecrim ou hortelã e relaxe.

A abobrinha italiana refogada é minha favorita, mas não recuso as amarelinhas - abobrinhas brasileiras conhecidas como 'tipo menina'. Na versão da foto coloquei cenouras em tirinhas para dar uma variada. A foto está feia, mas ficou bem gostoso... juro.

Outra receita muito gostosa e fácil, que a Kay me ensinou, é a abobrinha com spaghetti ao sugo. Pique a abobrinha em tirinhas bem finas, adicione ao molho de tomate e deixe cozinhar um pouco. Coloque tomilho fresco, sirva com a massa, parmesão e pimenta ralada na hora. Uma taça de vinho tinto - Chianti é o ideal - para acompanhar e aí está uma receita para espantar as trevas da segundonda.

O processo das tirinhas requer paciência, o que é muito terapêutico, mas se estiver com pressa existe um cortador ótimo da Metaltex, parecido com um descascador de legumes. Use o cortador com abobrinha, cenoura e nabo, por exemplo, refogue as tiras de legumes na manteiga e você terá um salteado de legumes para acompanhar peixes grelhados.

Se estiver com a maior preguiça disso tudo peça uma Bráz. A redonda, que dá nome a uma das melhores pizzarias da cidade, leva abobrinhas refogadas no azeite, muzzarela de búfala e é gratinada com parmesão. Chame sem culpa.

Falando delas...
Abobrinhas e abóboras foram as estrelas do caderno Paladar da última quinta (15/02). Giedre, fã de abobrinhas, enviou o link da reportagem, que explora o mundo das abóboras e inclui dicas como o restaurante Xapuri, de Belzonte, tema de um saudoso toast neste blog.

*O jazz-soul Alligator Bogaloo, de Lou Donaldson, é uma boa pedida para embalar a terapia culinária, na segunda. Se quiser uma trilha mais temática, o menu pode incluir I Don't Like Mondays, do The Boomtown Rats (letra de Bob Geldof), New Moon On Monday, do Duran Duran, Blue Monday do New Order e até Manic Monday, do The Bangles.

Tão longe...

Meu analista, que fica pertinho do Masp, me contou hoje que conseguiu um autógrafo do Anthony Bourdain, em sua cópia do livro "Cozinha Confidencial", quando o chef esteve em São Paulo, na semana passada. Bom... ele disse que vai escanear pra mim. É isso aí.

Foto: divulgação

...Tão perto

Quer fugir das massas e da barulheira do almoço no domingo, sem gastar muito? Uma opção bem tranquila é o Restaurante do MASP. O acervo gastronômico é simples e honesto: grelhados com três acompanhamentos - a partir de 16,50 -, massas e crepes feitos no balcão a escolha do freguês.

No último domingo pedi uma truta grelhada (na hora). Esperei uns cinco minutos enquanto devorava os mini-pães franceses no balcão ao lado. Dos acompanhamentos escolhi abobrinha - legume tão amado - gratinada, purê de batatas com espinafre e couve refogada. As saladas parecem bem apetitosas também.

Fechei a 'refeição saúde' com uma salada de frutas, mas não resisti ao café expresso. Tudo por 24 reais. E o lugar fica aberto até 16h30, o que não lhe obriga a acordar cedo para o almoço do domingo. No caminho do restaurante, que fica no sub-solo do museu, você ainda pode apreciar uma exposição gratuita ou então investir em uma visita ao acervo do Masp. A exposição do Manet ainda está em cartaz.

Restaurante do Masp - Av. Paulista, 1578 - Bela Vista. Tel: (11) 3253-2829

Tão longe, tão perto...

Foto do blog do Marcelo Katsuki tietando Anthony Bourdain hoje de manhã no Mercadão

Estava trabalhando feliz e contente, hoje à tarde, quando recebo uma mensagem de Henrique dizendo "tenha um chilique agora..." e o link para o apetitoso blog do Marcelo Katsuki.

Quando vi as fotos do Anthony Bourdain, o chef rockstar que tanto adoro, tiradas hoje de manhã no Mercado Municipal Paulistano, quase caí pra trás. Bourdain está no Brasil para filmar seu programa Sem Reservas (No Reservations), transmitido pelo Discovery Travel & Living.

Marcelo conta que caiu da cama para encontrar Bourdain no Mercadão. O chef, escritor e apresentador de TV estava começando uma maratona que incluiu o boteco Valadares, uma escola de samba (clássico dos 'gringous') e uma descida para o ultra bem cotado restaurante Manacá, em Camburi.

No programa, originado de uma série feita para a TV norte-americana juntamente com o livro Em busca do prato perfeito, o destemido e irônico chef nova-iorquino vasculha a comida e a cultura de diversos países.

De Paris ao Vietnã, Bourdain caminha pelas ruas fumando seu Marlboro vermelho e come de tudo - do restaurante com estrelas no Guia Michelin àquele lugarzinho sinistro que serve um prato especial, há 300 anos, e só é descoberto por indicação.

Essa é a segunda ou terceira vez que Bourdain passa por aqui. Feijoada é o que ele considera um dos pratos perfeitos. A Vejinha SP acompanhou uma dessas maratonas, que incluiu Mercadão, Rancho da Empada, Jun Sakamoto, D.O.M e Ponto Chic. Que disposição.

Comecei a acompanhar o Bourdan depois de ler Cozinha Confidencial, meu favorito. Em sua trajetória, ele conta que botava fogo na pia da cozinha do restaurante onde trabalhava ao som de The End, do Doors, para entrar no clima Apocalipse Now! antes de iniciar sua batalha diária.

No mais recente Afinal, as receitas do Les Halles – Nova York, ele abre segredos e receitas da cozinha que comanda desde 1998, mas sempre alerta que a vida de chef não é para qualquer um. Encontrar o Bourdain no Mercadão não é para qualquer um. Parabéns com louvor ao Marcelo.

Pelo menos temos o consolo de encontrar o Bourdain, em breve, na TV, fazendo um programa do Brasil. Se você não tem um pacote power plus de TV a cabo, baixe No Reservations no BitTorrent, mas não perca esse programa.

[ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: